top of page

Webinário abre comemorações pelos 40 anos do Feteag




Abrindo os trabalhos em comemoração aos 40 anos do Festival de Teatro do Agreste (Feteag), serão promovidas ações que visam reaproximar o público e mantê-lo conectado, realizando dentro do eixo atividades reflexivas, o webinário ‘Diálogos entre arte e ecologia’. “O objetivo é de ampliar a discussão sobre o fazer artístico e ao mesmo tempo em sintonia com questões urgentes que se apresentam no momento presente, abre uma nova trincheira de resistência, diversa e múltipla, tendo como foco a questão ambiental’, disse Fábio Pascoal, diretor executivo do festival.


A aceleração do Antropoceno intensificou as mudanças climáticas e seus consequentes acontecimentos extremos, no planeta, como secas, queimadas, inundações e ondas de calor. Este estado catastrófico é a corporificação do pensamento-ação ocidental e colonial que fragmentou corpo, mente e ambiente e apreendeu o mundo através de uma relação de poder que coisifica, homogeneiza e explora corpos e territórios.


Ao separar corpo e ambiente, o conceito ocidental do humano cultivou relações de poder entre humanos e não-humanos, entre norte e sul global, gerando uma insustentável exploração da matéria. Este modelo de vida, almejado por muitos e alcançado por poucos, divide populações, territórios e países, através de um jogo político, em que poucos são os detentores do poder e muitos os que sofrem com as consequências do colapso ambiental.


Em meio ao caos, a crise ambiental é queda e finitude, mas também pode ser começo, indicando caminhos de transformação para uma nova compreensão de mundo. Nesta travessia, que precisa ser enfrentada com urgência, a obsessiva busca pela essência das coisas ou pela imutabilidade é dissolvida, desterritorializando saberes.


Guiados pela fissura e irreversibilidade do tempo, fazedores da arte e ecologia entrelaçam seus saberes e metodologias, aproximando estratégias, a fim de revelar conflitos socioambientais de territórios e propor relações de afeto entre corpo e ambiente. Nas artes, a necessidade de justiça climática e as trocas com os saberes ecológicos não se resumem às temáticas das criações, pois transformam os modos do artista perceber e se relacionar com o mundo, gerando transformações compositivas e poéticas assim como na linguagem artística.


Dia 09/09/21 às 20h

Mesa 1. O fim do mundo é aqui e agora!

Participantes

Elizabeth Doud (Flórida-USA)

Ziel Karapotó (São Sebastião-AL / Camaragibe-PE)


Dia 16/09/21 às 20h

Mesa 2. Entre rios e afetos

Participantes

Alexandre Henrique (Caruaru-PE)

Zé Bueno (São Paulo-SP)


Dia 23/09/21 às 20h

Mesa 3. Modos de refazer futuros

Kay Sara (Iauaretê-AM / São Paulo-SP)

Elton Bruno (Recife-PE)


Está ação conta com o apoio do Consulado Geral da França em Recife e Secretaria Especial da Cultura – Ministério do Turismo. No dia 09, serão distribuidos ingressos para apresentações que irão acontecer dentro da programação do https://www.ringling.org/events/series/ecoperformance-week. Terão direito, os participantes que estejam acompanhando o webinario.

Commentaires


bottom of page